Pronaf Agrícola

O crédito ofertado pelo Pronaf Agrícola não se dá por direito e sim por conquista
O Pronaf Agrícola, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar visa fomentar a geração de renda, melhorar o uso da mão de obra familiar e também agregar valor ao produto e à propriedade, através de linhas de crédito para financiar atividades e serviços rurais agropecuários e não agropecuários que sejam desenvolvidos em áreas rurais ou em demais áreas comunitárias próximas.

O Pronaf Agrícola é destinado a as pessoas que integram as unidades familiares de produção rural e que possam comprovar o enquadramento, apresentando a Declaração de Aptidão ao Programa (DAP). Na Lei nº 11.326, de 2006, ficam estabelecidas as diretrizes para a formulação da Política da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais, e no seu artigo 3º fica definido quem é considerado agricultor familiar e empreendedor familiar rural.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Acesso ao Pronaf Agrícola

O acesso aos benefícios do Pronaf Agrícola depende da aprovação do projeto do agricultor, seus objetivos e finalidades do emprego do crédito, para atendimento das suas reais necessidades de investimento. O recurso poderá ser investido para custear a safra ou atividade agroindustrial, investir em maquinários, equipamentos ou infraestrutura de produção e serviços agropecuários ou não agropecuários.

Como conseguir e manter o financiamento pelo Pronaf Agrícola

O acesso ao crédito não se dá por direito e sim por conquista. Para isso, o agricultor familiar deverá se comprometer em cumprir com o pagamento da dívida assumida no financiamento, apresentando a sua DAP, o CPF regularizado sem restrições de crédito, ou seja, nome limpo no mercado e um projeto que apresente garantias.
A negociação com o banco é bastante burocrática e dificultosa, então diante disso, é muito importante que os beneficiários se organizem para assegurar o acesso e a manutenção dos financiamentos no município, na comunidade, no assentamento, etc.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

São considerados pontos fortes e que podem contribuir para confiança dos bancos: sindicatos, cooperativas, associações fortes, com diretorias competentes e comprometidas com a causa e a seriedade na aplicação dos recursos, conhecendo a adimplência e atuando para manter a adimplência alta.
As entidades que representam o setor devem manter boas relações e diálogo constante com os bancos financiadores, com o apoio da Assistência Técnica e Extensão Rural (ater), das lideranças políticas locais, para conquista do objetivo comum, o desenvolvimento rural sustentado.

Recomendados para você: